Featured post

The Magical Pool

For my goddaughter Lara. A beautiful ray of sunshine. It was very early in the morning and Otto the Octopus was still sound a...

Friday, 16 July 2010

Texto escrito com algumas palavras do poema «Cavaleiro Monge» de Fernando Pessoa

Entre o Toninho e o seu herói havia uma semelhança e duas diferenças. A semelhança: viviam os dois rodeados de silêncio. Uma diferença: O silêncio do Toninho não era uma opção. A outra diferença: O cavaleiro do Toninho caminhava liberto e direito, cavalgava por vales e montanhas, atravessava rios e oceanos. O Toninho nunca andou nem andará de cavalo, e já não caminha sozinho. Os seus rios não têm pontes. Os obstáculos são muitos.
Da sombra da cadeira, Toninho criou um cavalo e um amigo: um cavaleiro que viveria a vida que não podia viver. Tinha o corpo preso à cadeira de rodas e a voz encerrada no fundo de uma caixa. Porque ninguém o ajudava a cantar a sua canção?

No comments:

Post a Comment